segunda-feira, 14 de julho de 2014

Inventário da Copa

A COPA DOS ALIENADOS DA NAÇÃO ("país sem pobreza"?)
Finalmente, a Copa do Mundo de Futebol chega ao fim. Foram meses de preparação, justamente às vésperas de uma eleição cujos resultados definem o futuro desse país de alienados. O único assunto do país, por mais de um ano, foi a escolha do técnico e de seus assessores, a escalação do time, os palpites de cada um (transformado em técnico de futebol), as críticas aos gastos excessivos da Copa, as promessas de boicotar o evento...

Bastou que os jogos começassem para que os compromissos de boicote fossem esquecidos, pois, acima de tudo, o Brasil é o "País do Futebol"! Essa é a religião do povo, o ópio que consome os cérebros e faz com que a população se entregue ao transe provocado por uma bola rolando em um gramado retangular. Diante desse hipnótico objeto, os problemas nacionais se tornam irrelevantes. Foi assim em 1970, em plena Ditadura, e assim é agora.

Estamos há 12 anos sob o regime de um partido único e seus penduricalhos oportunistas. A oposição é torpe e insegura, pois ninguém tem um plano de governo para esse país do faz-de-conta! Às vésperas das eleições a oposição não sabe ainda o que contrapor às armas do PT: Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Luz para Todos, etc. Parece que a criatividade do país murchou com o futebol... o único esporte que interessa para esse povo inculto!

Nem parece que daqui a dois anos estaremos sediando as Olimpíadas pela primeira vez! Quem pensou em investir nos Esportes? Quem sabe como o Brasil se apresentará diante do mundo? Será, certamente, mais um vexame nacional, digno do PT de DILMA e LULA! E também da oposição medíocre de Aécio e Marina... e apostávamos tanto em um projeto chamado "Rede Sustentabilidade"... esse projeto sucumbiu com Eduardo Campos.

O que resta da Copa do Brasil, além de gastos bilionários (cuja verdadeira dimensão ninguém conhece), da perda de produtividade pelo ÓCIO que tomou conta do país por 30 dias, dos estádios do fim do mundo, que ninguém saberá para que servem, e do "silêncio dos inocentes", calados pelo fascínio de uma bola de futebol? Resta a frustração de perder vergonhosamente de 7 x 1, justamente no momento em que a população, entorpecida, se enchia de esperanças de conquistar sua sexta estrela! Para que serve mesmo uma estrela dourada, vinte e três medalhas e uma taça dourada e temporária? Pois a copa se foi e ficou um vazio que não poderá ser preenchido. Ainda por alguns dias, um bando de repórteres, que se acham especialistas nesse esporte amaldiçoado, irá analisar, à exaustão, o "porquê" do desastre. Só que estarão analisando o desastre errado, pois a verdadeira tragédia do Brasil é o seu povo ignorante, que se entrega ao abate por uma bola de futebol.

Enquanto isso, as grandes questões nacionais continuarão ocultas das discussões que deveriam preceder as eleições: os Políticos Corruptos, que desde a invasão portuguesa, em 1500, em sucessivas "sesmarias", se apropriam das riquezas nacionais em detrimento do povo inculto; a reformulação do Sistema Político, que finge ser a própria "Democracia", mas é dominado pela aristocracia arrogante dos poderosos; o Agronegócio, que privilegia o enriquecimento ilícito de uma minoria, em detrimento dos milhões de pequenos agricultores ludibriados; o Indigenismo, traído pelo próprio governo petista que, priorizando os ricos, esqueceu-se da tragédia que se abate sobre os povos indígenas há cinco séculos; a Mineração, que sorve a essência da terra em troca de um comércio medíocre, negociando toneladas de matérias-primas exportadas por gramas de alta tecnologia importadas; as Madeireiras, que devassam as florestas para que meia dúzia de megaempresas se locupletem de riquezas extorquidas de nosso Meio Ambiente; as Empreiteiras, aliadas do governo petista, que, estimuladas pela estupidez de DILMA, implantam gigantescas hidrelétricas no coração da Amazônia, sugando da floresta seus recursos fantásticos, e trocando-os por energia suja (sim, suja, pois acaba com a vida por onde se instala) a ser consumida no "sul maravilha"!

Esse é o legado de uma Copa do Mundo, que teve um começo sofrível, um desastre deplorável pelo medíocre desempenho da equipe do Brasil, uma lição de incompetência do governo para lidar com a crise de comando de seu incompetente ministro dos esportes, Aldo Rebelo, que não entende nada de coisa nenhuma, e um final melancólico, com essa equipe que mal se sustentou sobre as pernas até o final dos jogos. Fica, de "positivo", a acolhida sempre simpática de nosso povo que, estupidamente, não percebe que também essa subserviência ao estrangeiro, essa admiração pelo "outro" em detrimento de "si mesmo", é facilmente manipulada por aqueles que manobram os cordões das marionetes, que somos nós, brasileiros... tristes lembranças de uma copa inútil...
Postar um comentário

BPMN