segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O futebol é o ópio do povo!

Jovem espancado na disputa entre Vasco da Gama e Atlético Paranaense, em Joinville (08/12/2013)
"A religião é o ópio do povo" (em alemão "Die Religion ... Sie ist das Opium des Volkes") é uma citação da "Crítica da Filosofia do Direito", de Hegel. No entanto, o futebol demonstra o mesmo papel, quando vemos fanáticos se digladiando até a morte em estádios de futebol.  O fanatismo do futebol, assim como o das religiões, aniquila a capacidade intelectual dos indivíduos, tornando esse esporte a única alternativa relevante de suas vidas medíocres. Nenhum outro interesse, nenhum tema relevante, nenhuma causa que compense...

Nas décadas de 1970/80 os Hooligans apavoraram o mundo com sua violência estúpida nos campos da Europa, a ponto de serem banidos para sempre das arquibancadas das arenas do futebol.

Uma canção dos Raimundos dizia:

hooligans are made to destroy
hooligans are born just to kill
mom I'd like to be...
it's all I wanna be....

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan

why you never let me be?
why you never let me kill
mom I hate you...
kill you is what I wanna do...

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan

destroy
kill for joy
pleasure pain
yeah I'm the man!!!!

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan
let me be one
hooligan - hooligan - hooligan - hooligan


Traduzindo essa "obra de arte":

vândalos são feitos para destruir
desordeiros nascem apenas para matar
mãe, isso que eu gostaria de ser ...
é tudo que eu quero ser ....

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan

por que você nunca me deixa ser assim?
por que você nunca me deixa matar?
mãe, eu te odeio ...
matá-la é o que eu quero fazer ...

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan

destruir
matar por prazer
prazer do sofrimento
sim, eu sou o homem!!

hooligan - hooligan - hooligan - hooligan
deixe-me ser um
hooligan - hooligan - hooligan - hooligan

Um sentimento primitivo de ódio e de terror emana dessa "música" monstruosa! Um desafio à violência sem propósito! No entanto, parece que muitos se identificam com essa violência gratuita e descabida, e manifestam sua barbárie contra pessoas que sequer conhecem. Por que esse comportamento doentio?

O "hooliganismo" (do inglês "hooligan" = "vândalo", pronuncia-se: [ˈhuː.lɪ.ɡən], "rúulegan") refere-se a um comportamento destrutivo e desregrado, geralmente em partidas de futebol. O termo também pode se aplicar ao comportamento desordeiro e ao vandalismo (em geral), muitas vezes sob a influência de álcool e drogas.

O que nos assusta é que tais comportamentos, cada vez mais frequentemente, ocupam as manchetes da imprensa mundial, demonstrando a escalada da violência sem sentido, como nos inúmeros crimes de franco-atiradores nas escolas norte-americanas (ver "Tiros em Columbine", filme-documentário de Michael Moore), os atentados terroristas como os da Maratona de Boston e das Torres Gêmeas, e essa turba de covardes em Joinville, neste final de semana, que chocou o mundo com sua violência despropositada, maculando a imagem do futebol brasileiro e do próprio país, às vésperas da Copa Mundial de Futebol.


A vítima já está inconsciente, mas continua a apanhar do covarde!

Não basta dizer que são vândalos, covardes, bandidos, assassinos em potencial. O fato é que são pessoas aparentemente normais, que estudam, trabalham e, de repente, em uma partida de futebol, passam a agir com truculência e ódio contra outras pessoas, pelo simples fato de torcerem para diferentes equipes de futebol. No caso de Joinville, uma do Rio de Janeiro, outra do Paraná! Certamente, não se conheciam, não sabiam nada da vida pessoal dessas vítimas / algozes e fizeram isso apenas para despertar a besta que existe dentro de cada um. Coisas dos homens, não dos animais, que não sabem alimentar ódio ou paixão!


Vejam o parafuso na ponta do marrete do vascaíno assassino!

Pode-se perceber que esses cretinos já entram em campo com a determinação de brigar e agredir, com extrema violência, seus adversários, como se constata na foto acima. A barbárie chegou a tal ponto que a única forma de se lidar com ela seria pela dissolução definitiva de todas torcidas organizadas, verdadeiras escolas formadoras dos bandos de facínoras que frequentam e aterrorizam os estádios e suas imediações!

Não é possível contemporizar com tamanha truculência, descabida e inconsequente. Se o Estado brasileiro não tomar providências imediatas, eles (os criminosos) assumirão o controle, e cada jogo se transformará em um campo de batalhas. Torcidas como a "Gaviões da Fiel" (Corinthians), "Mancha Verde" (Palmeiras), "Ira Jovem do Vasco" (Vasco da Gama), "Fla Manguaça" (Flamengo), "Fanáticos" (Atlético Paranaense), "Galoucura" (Atlético Mineiro) e "Máfia Azul" (Cruzeiro) são incompatíveis com um Estado do Direito.

O Futebol é o ópio do povo, assim como são as religiões! Possui seu próprio ritual, seus amuletos, suas túnicas, seu templo, seus ídolos de barro como todas as religiões populares e fanáticas. Quem aprecia futebol, geralmente, não se interessa por outro assunto; torna-se medíocre e vulgar; usa uniforme do time como se vestisse roupas de griffe; faz questão que seu filho torça para o seu time, e ridiculariza seus adversários, transmitindo essa "doutrina" do ódio para seus descendentes. Recusa-se até a usar roupas com as cores de seus adversários. Um processo de bulling se inicia e se estabelece, não apenas entre crianças, mas entre adultos, e, não raro, apelidos jocosos e humilhantes são atribuídos aos torcedores de outros times.

Futebol não é sadio: grande parte de jogadores, amadores ou profissionais, sofrem danos, muitas vezes permanentes, nos joelhos e tornozelos devido à violência em campo. Assim como nos jogos profissionais, agredir o adversário é usual entre jogadores de várzea, prova de machismo e "coragem", causando rompimento de ligamentos, entre outras contusões sérias; às vezes, até causando incapacidade física.

Sim, o futebol é o ópio do povo, e traz mais prejuízos do que benefícios. É um esporte alienante, machista e preconceituoso, que separa familiares, destrói amizades, contamina discussões intermináveis e inúteis, e ofende a dignidade das pessoas. Se computássemos as perdas de trabalho e de estudos devidas ao futebol teríamos a verdadeira dimensão dos danos causados por essa modalidade de esportes.

Mas nossa sociedade é movida por interesses fúteis, como a religião e o futebol. Enormes cifras são desperdiçadas por essas duas atividades, não gerando nada produtivo ou útil para a sociedade. Futebol e religião são semelhantes em tudo: fanatismo, ilusão, alienação, violência, ódio, preconceito. Das guerras havidas entre os povos, a religião tem sido uma das principais causas. Se o futebol não provoca guerras convencionais, produz batalhas campais com frequentes vítimas da violência e do preconceito.

O fanático por futebol é tão estúpido que é capaz de torcer por um time de outro país apenas para evitar que seu adversário conquiste uma taça em uma grande competição internacional!

Então, por que o futebol é tão popular no mundo? Por que, para se assistir a um jogo ou para se jogar futebol não é preciso nada além de treino, domínio da bola e obediência às regras do jogo. Alguns jogadores se destacam pelo talento, mas a maioria absoluta é medíocre e burra. O certo é que gostar, praticar e torcer por um time de futebol não exige inteligência: apenas força bruta, cabeça vazia e mediocridade!

Mas somos o "País do Futebol", não é mesmo? Que pena...


Covardia! Ódio! Truculência! Intolerância! Banditismo!
Postar um comentário