domingo, 17 de janeiro de 2010

Política Ambiental e Eleições

Estamos às vésperas das eleições majoritárias no Brasil e alguns candidatos já se movimentam no tabuleiro de xadrez das campanhas, manifestando suas posições ideológicas e seus compromissos preliminares com os diferentes segmentos sociais que se beneficiarão dos acordos que agora serão alinhavados. Infelizmente, os interesses de grupos poderosos sempre prevalecem sobre os interesses da Nação. Por isso, as propostas dos candidatos deveriam ser um fator importante de decisão para o eleitor consciente.

Na verdade, não é assim que funciona o jogo eleitoral e as disputas pelo poder. Quem determinará os caminhos a serem percorridos pelo nosso país a partir de 2011 serão os poderosos conglomerados econômicos, sejam eles do Agronegócio, sejam das Indústrias de Base e até mesmo de setores da sociedade que souberam articular sua ação para poder influenciar nesse jogo nada democrático pelo Poder.

Nós, ambientalistas, temos o "nosso partido Verde", que deveria cuidar do futuro da Humanidade, não como uma disputa pelo poder, mas como luta pela sobrevivência, uma vez que os efeitos das agressões ao meio ambiente se fazem notar em todo o globo terrestre, pelas conseqüências do "efeito estufa" e pela degradação de nossos ecossistemas e santuários ecológicos, cada vez menores, ilhas de refúgio da vida selvagem de nosso planeta.

O que eu defendo são princípios, e não sei qual candidato terá a coragem e a ousadia de assumi-los, diante das pressões econômicas da Bancada Ruralista, retrógrada, arrogante e belicista. Prova disso é a própria impresa, que se diz livre, mas elege Blairo Maggi, governador de Mato Grosso e magnata da Soja, personalidade emérita desse país! Como assim? Mato Grasso, nos últimos anos, foi campeã de desmatamento e destruição da Amazônia, dos Cerrados e das áreas preservadas das comunidades indígenas!

Pensem, meus caros leitores! Pensem que por trás da mídia grandes interesses se escondem! Como é possível uma imprensa livre que depende da publicidade dos poderosos para sobreviver? Qual princípio ético sobrevive à dependência econômica?

Não existe isso! Nenhum candidato passsará po essa prova de conceitos Éticos, Políticos, Sociais e Ideológicos... a Ideologia morreu com o Comunismo Soviético! A Ética morreu com o PT do Mensalão! O Socialismo morreu com o engajamento das religiões nos interesses econômicos (vejam a Igreja Universal e a propria Igreja Católica!), a Política morreu com Collor, Maluf, Renan, Sarney e LULA!!!!!

Não vamos nos iludir! Lula foi o maior presidente de nossa Nação, inquestionavelmente, mas pagou um preço insustentável por isso: vendeu sua alma ao Agronegócio! Tentou, junto com seu partido, se perpetuar no poder! Subiu em sua cabeça a ambição e a glória, exatamente as forças que corrompem e matam os Estadistas... Seria Dilma a sucessora ideal de Lula? Certamente, não! E José Serra, ex-militante político, ex-presidente da UNE, ex-... apenas ex!

Não há Comunismo, Capitalismo ou Imperialismo que resista!
Minha campanha é pelo NÃO VOTE CONSCIENTEMENTE! Proteste, como fizemos em 1974! É preciso e urgente que as estruturas de poder sejam aniquiladas em nosso país! Vote nulo! Viaje! Diga NÃO a essa pouca-vergonha do Congresso Nacional! NÃO!!! CHEGA!!! BASTA!!!
Postar um comentário