quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Rússia proíbe importação de carne de frigoríficos do Brasil

As inspeções revelaram a presença de ractopamina, uma substância para estimular o crescimento muscular, mas produtores pedem novas análises
MOSCOU - O Serviço de Inspeção Agrícola e Criação de Gado (SIAG) da Rússia confirmou que já está valendo a partir desta quarta-feira, 2, a proibição de importações de carnes suína e bovina do Brasil.

São dez frigoríficos com restrições, nove de carne bovina (seis da JBS*, dois da Minerva e um da Marfrig) e um de carne suína, o Pamplona (Riosulense), em Santa Catarina.

Eles estão proibidos de fornecer para o mercado da União Aduaneira (UA), formada por Rússia, Belarus e Cazaquistão.

A decisão foi tomada depois da inspeção realizada por veterinários russos em 18 empresas brasileiras. Foram constatados "descumprimentos generalizados e alguns particulares" das normas sanitárias da UA na maioria delas, segundo comunicado do SIAG.

As inspeções teriam revelado a presença de ractopamina. Adicionada à ração, a ractopamina aumenta a massa muscular e faz com que os animais cresçam com menos gordura. Médicos acreditam que a substância pode provocar doenças, e por isso o aditivo é proibido em 80 países.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), Rui Vargas, disse, por meio de comunicado, que "não há nada factual de violação sanitária - presença de qualquer resíduo - na carne suína brasileira exportada para a Rússia".

Segundo ele, a exigência do governo russo, no caso do frigorífico de carne suína suspenso na semana passada, é que um número maior de análises laboratoriais seja feito pelo serviço veterinário oficial brasileiro. Esse pedido por parte da Rússia já foi encaminhado ao governo, que está tomando providências, ressaltou Rui Vargas. 

As análises de laboratório são feitas pelas empresas e pelo governo brasileiro. A Rússia argumenta que, pelo fato de o número de análises oficiais ainda ser menor do que o exigido por Moscou, existe o risco de serem encontrados resíduos.

Na semana passada, dia 25 de setembro, o Serviço Federal de Fiscalização Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor) impôs restrição temporária à importação.

Vargas salientou que apenas quatro unidades do País estão habilitadas a exportar para a Rússia e, destas, agora apenas três, uma vez que, na semana passada, o Pamplona foi suspenso, juntamente com outros nove frigoríficos de carne bovina.


Fonte: Jornal "O Estado de São Paulo"

* OBS: a marca FRIBOI é da JBS

Postar um comentário