quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Minha homenagem à maior mergulhadora do mundo: KAROL MEYER!

Karoline Mariechen Meyer, ainda pequena, foi morar em Florianópolis (SC) onde divide o seu tempo entre o trabalho na Caixa Econômica Federal, a familia e a paixão pelo mergulho em apnéia, ou “mergulho livre” .

Seu pai, Carlos Irapuan Meyer sempre foi um esportista. Influenciada por ele e com o apoio de sua mãe Marli, praticou inúmeros esportes desde a infância: atletismo (corridas de fundo – 1.500m), handball, body-board, mergulho e outros esportes de aventura, como o rafting, o canyoning e o rappel. Companheira de seu pai nas pescarias desde os 5 anos de idade, seguia com ele para os rios e costões… Aos 15 anos já fazia parte da equipe de handball do estado de Santa Catarina, participando de vários campeonatos brasileiros.

Karol foi recordista em medalhas de ouro das Olimpíadas do Colégio Catarinense, vencendo as provas de: maratona, ciclismo, corridas: 1500m, 1000m, 800m, tênis de mesa, arremesso de peso.
A paixão pelos esportes fez com que praticasse também o basquete e o bodyboard, onde se destacava nas grandes ondas.

Paralelamente realizava saídas para o mar, com praticantes de pescasub, mas passava a maior parte do tempo somente contemplando do fundo do mar, fato que chamava atenção dos demais.

Aos 17 anos ingressou na faculdade de Direito na UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, seguiu cursando a Escola da Magistratura de SC e depois a pós graduação em Direito Empresarial na ESAG. O mergulho era praticado como lazer, gostava de ficar passeando no fundo do mar e no fundo das piscinas…Foi durante saídas para pesca submarina que passou a ser observada e seus longos mergulhos comentados, pela facilidade com que chegava às profundidades e a capacidade para longas apnéias. Ficava apreciando e divertindo-se vendo a fauna e flora marinha.

Em 1988, após assistir ao filme Imensidão Azul, a sua paixão pelo mergulho se tornou incontrolável. Passou a praticar e estudar o mergulho autônomo e livre, com vários cursos PADI, NAUI, PDIC e de mergulho em apnéia com NUC, AIDA, IAFD. No início de 1996 descobriu a apnéia competitiva, que ainda não existia no Brasil, tendo contato direto com recordistas mundiais como Andy Le Sauce, Claude Chapuis, Loic Leferme. Motivada pelos conhecimentos adquiridos, passou a ministrar cursos e deu início aos seus treinamentos visando uma nova marca nacional na disciplina. Foi na piscina do Lira Tênis Clube de Florianópolis que fez sua primeira apnéia estática de 3′ 39″ e ficou próxima do recorde nacional na época, motivando-se ainda mais com a apnéia, na sua forma competitiva.

Tornou-se Instrutora de renome internacional através de vários cursos realizados ao longo de sua carreira, como o de formação como instrutora realizado junto à Universidade Nice – Unidade de Formação e Pesquisas em Ciências e Técnicas de Atividades Físicas e Esportivas.

AIDADescobriu a AIDA em 1996 Associação Internacional para o Desenvolvimento da Apnéia – em particular o site da AIDA França, mais tarde foi convidada à compor o Comitê Internacional da entidade.

No inicio a atleta teve sua marca reconhecida pela CBPDS, Confederação Brasileira de Pesca e Desportos Subaquáticos, com o tempo de 4′ 07″ seg no dia 9 de setembro de 1998. Na seqüência veio nova marca de 4’31″, mas notou que estava só, não haviam competições, não havia apoio para o esporte, nenhum material científico em nivel nacional, nenhuma escola ou instrutor que pudesse passar ensinamentos à fundo sobre o esporte…

Por ter fundado a Aida (uma associação esportiva sem fins lucrativos) no Brasil, foi vítima de represálias e discriminação. Todos os seus recordes mundiais, pan-americanos, sul-americanos e nacionais foram homologados pela AIDA (www.aida-international.org), sem qualquer apoio da entidade dita como “responsável” pelo desenvolvimento do esporte no país.

A atleta treinou e aprimorou sua prática com os melhores do mundo, assim como disseminou o esporte, trazendo para o país a Aida Seção Brasil, da qual foi presidente fundadora e hoje atua como responsável pela educação através dos cursos Aida Freediver em todos os níveis.

Em 1999, conheceu o legendário Umberto Pelizzari, que carinhosamente a chamava de “Principessa Degli Abissi”, realizou o curso da Apnea Academy e lá mesmo ultrapassou o tempo de 5 minutos em treinamento. Em menos de um ano quebrou 3 marcas nacionais e deteve a marca sul americana da disciplina apnéia estática. Pelizzari disse que ela poderia ser um dos destaques do campeonato mundial… Então, iniciou seus projetos para sair do país e mergulhar de vez na aventura da apnéia!

A meta era ir para a França desta vez para treinar no mundo do BIG BLUE e treinar com os melhores do mundo, seguindo para participar do Red Sea Dive Off 99, a única grande competição internacional organizada pela AIDA em 1999. Em junho desembarcou em Nice – França, para treinar em Saint Jean Cap Ferrat . Visava, também, aprender as disciplinas de profundidade como o lastro variável, o costante e a imersão livre para realizar novas marcas nacionais e sul-americanas para o Brasil.

Lá treinavam os maiores apneístas do mundo! Franceses, como Loïc Leferme – recordista mundial na modalidade No Limits, Olivier Heleau, Claude Chapuis, Guillaume Nery, com os quais manteve estreita relação, enriquecendo dia a dia os seus conhecimentos e treinamentos.

Treinou, realizou cursos, graduou-se no mais alto nivel de Instrutora de Apnéia e Juiza Internacional. Com treinamento adequado veio a rápida evolução, atingiu o seu melhor tempo em treinamento na modalidade apnéia estática: 6′ 31″! Nas disciplinas de profundidade também avançou colocando-se entre as atletas AIDA TOP 10 (10 melhores do mundo). Hoje, suas marcas em treinamento vão bem mais além… Sem patrocínio, somente com o apoio da familia e, contando com o estímulo e conhecimento do Sr Nicolleti (PINO), que desenhou e fabricou sua primeira roupa de neoprene, Karol teve forças para chegar na competição do Egito – Red Sea Dive Off ’99onde venceu todas as provas femininas: lastro constante, estática e combinado individual. Neste mesmo evento quebrou pela 2ª vez o recorde mundial feminino de apnéia estática, em competição, com o tempo de 6′ 02″! Foi o primeiro recorde mundial (absoluto) quebrado em competição!

Realizar um recorde mundial nessas condições constitui um evento único, sem precedentes na história dos recordes de apnéia” declarou Claude Chapuis (apneísta francês criador da AIDA e de todas as regras de competição e segurança – um verdadeiro ícone do mundo da apnéia). Com este recorde Karol Meyer além de ser a única mergulhadora brasileira a realizar marcas mundiais, igualou-se em recordes com o brasileiro Américo Santarelli.

Neste mesmo período a atleta foi convidada à participar do seleto Comitê AIDA que internacionalizou definitivamente a entidade, sendo o esporte difundido para vários países.

Em 2000 retornou à França para mais uma temporada de treinos, quebrou o recorde sulamericano em lastro variável – absoluto (feminino e masculino), atingindo a profundidade de -70 metros com grande maestria, fato que causou espanto aos atletas franceses. Ainda neste ano seguiu para seu papel de Juiza Internacional, quando homologou nas Ilhas Caymans o recorde mundial masculino no lastro constante, trazendo o esporte para as Américas, ensinado e propagando a credibilidade da instituição internacional para o continente.

Em 2001 seguiu para Miami como Juiza Internacional para a marca de -133 m no No Limits da eterna amiga Audrey Mestre. Em setembro do mesmo ano, juntamente com Audrey, realizaram recorde mundial de No Limits Tandem de – 91m de profundidade (o que seria a última marca da amiga que infelizmente faleceu em 12 de outubro 2002, em descida para recorde). Foi lá em Miami que Karol quebrou pela 3ª vez o Recorde Mundial de apnéia estática com 6′ 13″, entrando novamente para a história e tornando-se recordista absoluta de recordes mundiais para o Brasil, ultrapassando inclusive a categoria masculina.

Em 2002 treinou forte numa pedreira inundade em Salto de Pirapora-SP. Lá chegou aos -67m em imersão livre (a menos de 3 metros do recorde mundial nesta disciplina).

2003 A atleta retorna ao seu estado de origem Pernambuco, para conhecer o paraíso de Fernando de Noronha… Convidada especial dos 500 anos do arquipélago, Karol Meyer realizou 2 marcas históricas… Chegou ao Naufrágio da Corveta Ipiranga em apnéia (-57m) e desceu as famosas “Paredes” (-80m) além de se tornar a 3ª melhor mergulhadora do mundo nas disciplinas Imersão Livre e Lastro Variável.

Nesta época foi convidada para fazer parte do filme Noronha’s Edge, da Hydrosphera Produções, que participou do Festival Mundial de Imagens Sub em Antibes – FRA.

Karol foi eleita Melhor Instrutora (Coach) no mundo em 2006 pelo entidade internacional ICARE, além de um prêmio muito especial dado pela entidade "SPECIAL ICARE TROPHIES 2006“por sua completa carreira como atleta, juíza e instrutora no mundo do mergulho livre”.

Desde 2002 a atleta conta com o patrocínio da Mormaii, e apoio da Academia Racer, Lira Tenis Clube, Yogashala, além do auxilio da CAIXA e apoios específicos dependendo de cada projeto.

Os exercícios em apnéia também ganharam uma energia a mais quando Karol passou a praticar YogaHoje é adepta do hatha yoga, do Yogashala, no qual realizou curso de formação como instrutora com Camila Reitz.

O mergulho no yoga foi um passo importante para o meu crescimento. Mente e corpo em melhor sintonia com Deus, maior concentração, tranqüilidade, força interior!” (Karol)

2007 foi um ano completo – a atleta se tornou a 1ª a unificar todas as marcas sul-americanas do mergulho livre, 8 disciplinas, recebendo também o prêmio internacional de “Best Female Freediver 2007″ (Melhor Mergulhadora no mundo em 2007) pela entidade Suiça – ICARE Trophie.

Dentre seus recentes feitos, se tornou o ser humano com o maior tempo de apnéia no mundo, com incríveis 18 minutos e 32 segundos sem respirar, indo para o livro dos recordes, o Guinness Book TM, além da conquista dos 100metros de profundidade na ilha de Bonaire, Buddy Dive reef.

A atleta é uma das mais completas mergulhadoras no mundo do esporte e a maior representante do Brasil no mundo do mergulho livre.

Mergulhe no seu site e saiba o porquê…http://www.karolmeyer.com/


Postar um comentário