domingo, 17 de janeiro de 2010

Vamos falar de Meio Ambiente?

Difícil restringir nosso debate às questões puramente ambientais. Mas vamos tentar... quem se habilita?
No Brasil, quando falamos em meio ambiente todos se lembram da Amazônia! Não é para menos... é a maior floresta tropical do planeta! E está sendo destruída sob os olhos do Governo Federal, do Ministro do Meio Ambiente, das Forças Armadas... sim, é uma questão de Segurança Nacional, como diziam os ditadores de plantão nos idos de 64...

Mas nos esquecemos do Cerrado, fonte de geração de água para todos os ecossistemas do Brasil, e que está em fase terminal de degradação, desde que o Governo Federal definiu essa área como prioritária para os projetos de monocultura do Agronegócio... milhões de hectares sendo destruídos, transformados em pomar de mamão e outras frutas tropicais...

A Caatinga, coitadinha, prima pobre de nossas florestas, é tida como lixo, escória das matas planetárias, embora suas espécies vegetais e sua fauna sejam as mais adaptadas para as condições adversas que enfrentam. É conveniente, pois apenas com irrigação essas imensas áreas se tornam férteis e altamente produtivas!

A nossa Mata Atlântica ficou de escanteio... deixada para trás nas prioridades dos projetos do PAC... afinal, está cada vez menor, mais confinada entre as enormes plantações de banana do Vale do Ribeira e o mar... as encostas dos morros parecem um caleidoscópio de manchas de lavouras implantadas pela derrubada da mata, enquanto pequenas centrais hidrelétricas aguardam a vez de serem construídas, com aval do IBAMA, para atender às demandas das imensas indústrias de mineração!

As matas de Araucária estão praticamente extintas... aliás, as listas de espécies em extinção desapareceram do noticiário mundial... por que será? Teríamos atingido níveis tão alarmantes que já não vale a pena lutar por elas? Falava-se do mico leão dourado, da ararinha azul, das baleias e tubarões, dos botos cor-de-rosa, do peixe-boi... tantas espécies...

Pois é assim que tratamos de nossos elementos primais! Com o desprezo de quem tem alternativas mais interessantes para substituí-los! Será a cana de açúcar? a soja? as pastagens de gado Nelore? No futuro, nem zoológicos terão a lembrança de nossos belíssimos ecossistemas... eles terão se transformado em pastos e imensas plantações! Que beleza!

Senhores candidatos a todos os milhares de cargos eletivos desse país: o que vossas excelências têm a dizer a esse respeito?

"... Nosso céu tem mais estrelas, nossos campos tem mais flores, nossos bosques tem mais vida, nossas vidas mais amores ..."?

Política Ambiental e Eleições

Estamos às vésperas das eleições majoritárias no Brasil e alguns candidatos já se movimentam no tabuleiro de xadrez das campanhas, manifestando suas posições ideológicas e seus compromissos preliminares com os diferentes segmentos sociais que se beneficiarão dos acordos que agora serão alinhavados. Infelizmente, os interesses de grupos poderosos sempre prevalecem sobre os interesses da Nação. Por isso, as propostas dos candidatos deveriam ser um fator importante de decisão para o eleitor consciente.

Na verdade, não é assim que funciona o jogo eleitoral e as disputas pelo poder. Quem determinará os caminhos a serem percorridos pelo nosso país a partir de 2011 serão os poderosos conglomerados econômicos, sejam eles do Agronegócio, sejam das Indústrias de Base e até mesmo de setores da sociedade que souberam articular sua ação para poder influenciar nesse jogo nada democrático pelo Poder.

Nós, ambientalistas, temos o "nosso partido Verde", que deveria cuidar do futuro da Humanidade, não como uma disputa pelo poder, mas como luta pela sobrevivência, uma vez que os efeitos das agressões ao meio ambiente se fazem notar em todo o globo terrestre, pelas conseqüências do "efeito estufa" e pela degradação de nossos ecossistemas e santuários ecológicos, cada vez menores, ilhas de refúgio da vida selvagem de nosso planeta.

O que eu defendo são princípios, e não sei qual candidato terá a coragem e a ousadia de assumi-los, diante das pressões econômicas da Bancada Ruralista, retrógrada, arrogante e belicista. Prova disso é a própria impresa, que se diz livre, mas elege Blairo Maggi, governador de Mato Grosso e magnata da Soja, personalidade emérita desse país! Como assim? Mato Grasso, nos últimos anos, foi campeã de desmatamento e destruição da Amazônia, dos Cerrados e das áreas preservadas das comunidades indígenas!

Pensem, meus caros leitores! Pensem que por trás da mídia grandes interesses se escondem! Como é possível uma imprensa livre que depende da publicidade dos poderosos para sobreviver? Qual princípio ético sobrevive à dependência econômica?

Não existe isso! Nenhum candidato passsará po essa prova de conceitos Éticos, Políticos, Sociais e Ideológicos... a Ideologia morreu com o Comunismo Soviético! A Ética morreu com o PT do Mensalão! O Socialismo morreu com o engajamento das religiões nos interesses econômicos (vejam a Igreja Universal e a propria Igreja Católica!), a Política morreu com Collor, Maluf, Renan, Sarney e LULA!!!!!

Não vamos nos iludir! Lula foi o maior presidente de nossa Nação, inquestionavelmente, mas pagou um preço insustentável por isso: vendeu sua alma ao Agronegócio! Tentou, junto com seu partido, se perpetuar no poder! Subiu em sua cabeça a ambição e a glória, exatamente as forças que corrompem e matam os Estadistas... Seria Dilma a sucessora ideal de Lula? Certamente, não! E José Serra, ex-militante político, ex-presidente da UNE, ex-... apenas ex!

Não há Comunismo, Capitalismo ou Imperialismo que resista!
Minha campanha é pelo NÃO VOTE CONSCIENTEMENTE! Proteste, como fizemos em 1974! É preciso e urgente que as estruturas de poder sejam aniquiladas em nosso país! Vote nulo! Viaje! Diga NÃO a essa pouca-vergonha do Congresso Nacional! NÃO!!! CHEGA!!! BASTA!!!

domingo, 3 de janeiro de 2010

A Propaganda Eleitoral no Brasil

Ano eleitoral e a propaganda já corre solta há meses! Dilma, Marina e José se encontraram em Kopenhagen diante de um público de elite, preocupado com propostas ambientais e não com nossa política doméstica; principalmente quando os interlocutores (Roussef e Serra) nada entendiam de ambientalismo!

Mas o problema, para nós brasileiros, é ver desfilarem, descaradamente na TV, as caras daqueles políticos que gostaríamos de ver banidos para sempre do cenário nacional: Collor, Sarney, Renan & Cia... as propostas são sempre as mesmas; os discursos parecem zombar de nossa estupidez, esses mesmos sujeitos apregoando a moralidade pública, como se não fizessem parte da máfia que conduz os debates mais torpes no Congresso Nacional!

Quem imagina que "agora será diferente" é, de fato, merecedor desses discursos demagógicos e desprovidos de conteúdo! Nenhum candidato se prepara, intelectualmente, para assumir um cargo público, seja legislativo ou executivo. Chegam e se aboletam nos seus assentos, aproximando-se das inúmeras comissões que passam os dias, monótonos e enfadados, discutindo cargos, favores, verbas e... propinas!

Os anos passam e tudo continua igual! Por que?

Já abordei esse assunto antes, mas creio ser necessário repeti-lo à exaustão, até que outras vozes de formadores de opinião se unam a nós e nos ajudem a "retomar a Bastilha"! Sim, porque somente uma rebelião ideológica poderá desmontar esse poder corrupto, viciado e caquético de Brasília!

O tema é "Sistemas de Governo"! Junto a ele, a educação política de um povo... e também o fim do voto obrigatório, a exigência de nível intelectual condizente com a responsabilidade administrativa... e ainda a seleção prévia de candidatos baseada em competências, como o fazem as empresas privadas e até mesmo as públicas em seus concursos... e por que não os prefeitos, vereadores, deputados, governadores, senadores e o presidente da república? Sim, a responsabilidade desses cargos é maior que a dos funcionários das empresas!

E também atestados de idoneidade moral... e uma legislação punitiva rigorosa e eficaz, que não permita que um corrupto volte ao poder... NUNCA MAIS! Pois os atletas que usam drogas não são banidos do esporte? E os criminosos recorrentes não deveriam ser banidos do convívio social? Assim deve ser!

Em quem cada um de nós irá votar? Talvez não tenha a menor importância, nesse atual sistema de governo onde a maioria do povo é analfabeta, plena ou funcional, onde o peso de um intelectual nas eleições é igual ao peso de um alienado qualquer que nem sabe as atribuições desses políticos que ajudou a eleger!

Certamente me chamarão de elitista, e eu sou, de fato! Não fosse assim, e poderíamos admitir que qualquer funcionário de qualquer empresa poderia exercer qualquer cargo, o que não é verdadeiro; assim como não podemos exercer as profissões regulamentadas sem adquirirmos o direito de fazê-lo através do estudo e da conquista de um diploma! Deveria haver uma Escola Superior de Política, que habilitasse profissionais a exercerem seus mandatos com, no mínimo, competência! A Ética seria disciplina obrigatória!

Quais são, hoje, os argumentos mais usados para convencimento da opção de voto? Ser da mesma igreja é um bom motivo, principalmente se for um evangélico pentecostal! Torcer para o mesmo time, prometer casas e empregos para todos, jurar fidelidade a princípios morais, mesmo tendo a maior ficha corrida na polícia, assegurar água em todo o sertão do semi-árido nordestino, oferecer empregos públicos (veladamente)...

E os programas partidários, alguém conhece? Nem mesmo aqueles que se filiaram a partidos políticos sabem o contrato que assinaram em branco! É bom lembrar o programa do PDS, partido que sucedeu à ARENA durante a ditadura militar: nem mesmo o PMDB, que era a oposição possível naquela época, o saco de gatos que acomodava todas as tendências políticas (UÉ, não é o mesmo de agora?), nem mesmo ele tinha um programa social tão avançado, tão nacionalista, tão nazista como o do PDS!

Então, o que nos resta fazer nas eleições? Votar consciente, diriam todos os puristas da Democracia, mesmo sabendo que existem várias "democracias" no Capitalismo: aquela dos ungidos do poder, aquelas dos ricos que não querem o poder, mas apenas usufruir dele, a democracia dos intelectuais, que nunca saiu do papel, e a democracia dos pobres, a do "vinde a nós o vosso reino"... (o reino fica com os poderosos, é claro!)
Mas então, só nos resta protestar e anular nossos votos, não é mesmo? Sim, desde que protestar signifique nunca se calar, nunca se omitir, manifestar-se sempre e não ter receio de se comprometer com suas próprias idéias, sua própria ideologia!

Afinal, de que adianta pensar, se não colocamos em prática nossas convicções?

BPMN